quarta-feira, 1 de junho de 2011

Correr Descalço ou Calçado ?

Deu na Nature (http://www.nature.com/nature/journal/v463/n7280/full/nature08723.html) e esse blogueiro está esperando o desenrolar de tal publicação. Por isso, um breve resumo do que ainda vai dar o que falar, como forma de tentar entender os “achados” e direcionar os conseqüentes desdobramentos de tal “descoberta”.

Aí vai um resumo artificial meu do resumo natural deles, traduzido livremente por mim com a ajuda do Google.

Os seres humanos têm corrido e praticado esportes de endurance a milhões de anos, mas o tênis de corrida “moderno” não havia sido inventado até 1970. Durante a maior parte da história os corredores exercitavam-se descalços ou usavam calçados como sandálias ou mocassins com pouco, ou quase nenhum amortecimento em relação aos modernos pares de tênis que hoje temos à disposição.
Esse estudo estudou (jura?!) como os corredores lidam com o impacto do pé com o solo antes da invenção do tênis moderno. Habitualmente corredores descalços aterrisam com a parte anterior/da frente do pé, menos frequentemente a aterrisagem é feita com a parte medial dos pés e, é ainda menos comum os que aterrisam com a parte posterior/de trás (vulgo calcanhar) do pé. Já os corredores calçados (nós todos, muito provavelmente),habitualmente aterrisamos com a parte traseira do pé, facilitados pelo amortecimento e altura do calcanhar do tênis moderno.


Análises cinemáticas (que novamente no estudo estudam as descrições dos movimentos) e cinéticas (que estudam as causas dos movimentos) mostram que mesmo em superfícies duras, os corredores descalços que aterrisam com a parte anterior do pé geram menores forças de colisão do que corredores calçados que aterrisam com a parte posterior do pé (vulgo, calcanhar). Essa diferença é o resultado de uma flexão plantar do pé (quando os dedos tendem à direção da sola/planta do pé) mais acentuada na aterrisagem e na observância de um tornozelo mais extendido (vulgarmente entendido como “relaxado”) durante o impacto do pé com o solo, diminuindo a massa efetiva do corpo que se choca com o chão. 
 
O perfil de aterrisagem dos atletas que usam a parte anterior ou medial do pé são mais comuns quando o homem correu descalço ou com sapatos “desapropriados” e pôde proteger os pés e membros inferiores de algumas das lesões relacionadas ao impacto já experimentadas por uma elevada quantidade de corredores hoje em dia.

Dúvidas?! Entrem em contato com o responsável pela pesquisa por e-mail: danlieb@fas.harvard.edu. Não contente, me ajudem a levantar ainda mais dúvidas comentando aqui para ajudar no entendimento desse delicado e teórico mundo científico.

Crédito a quem acreditamos (ou não?!):

Daniel E. Lieberman1, Madhusudhan Venkadesan1,2,8, William A. Werbel3,8, Adam I. Daoud1,8, Susan D’Andrea4, Irene S. Davis5, Robert Ojiambo Mang’Eni6,7 & Yannis Pitsiladis6,7
1.                             1Department of Human Evolutionary Biology, 11 Divinity Avenue,
2.                             2School of Engineering and Applied Sciences, Harvard University, Cambridge, Massachusetts 02138, USA
3.                             3University of Michigan Medical School, Ann Arbor, Michigan 48109, USA
4.                             4Center for Restorative and Regenerative Medicine, Providence Veterans Affairs Medical Center, Providence, Rhode Island 02906, USA
5.                             5Department of Physical Therapy, University of Delaware, Newark, Delaware 19716, USA
6.                             6Department of Medical Physiology, Moi University Medical School, PO Box 4606, 30100 Eldoret, Kenya
7.                             7Faculty of Biomedical & Life Sciences, University of Glasgow, Glasgow G12 8QQ, UK
8.                             8These authors contributed equally to this work.

Agora vou falar minha opiniao: Com toda sinceridade, em meu ponto de vista, não há nenhum benefícios em correr descalço pelo contrário, há ganhos de problemas.

Quando se corre, o atleta exerce uma força e peso muito grande em seu impacto no solo que as vezes equivale a cinco vezes o seu peso. Se você não tiver uma proteção de amortecimento no calcâneo poderá se lesionar gravemente na parte óssea. Em função disso que cada vez mais as empresas de tênis investem milhões em tecnologia, proporcionando maior conforto e segurança aos corredores, se preocupando principalmente no solado dando ao atleta maior eficácia no sistema de amortecimento. 
Se não é aconselhável correr descalço por que tem pessoas que o fazem? Geralmente essas pessoas geralmente de famílias humildes, moram em Cidades distantes de Capitais e nem sempre tem acesso a esse tipo de materiais e começam a pratica do atletismo descalço mesmo e acabam acostumando. Essas pessoas em função de muitos anos treinando descalço desenvolvem uma calosidade da pele na altura do calcâneo deixando a região mais grossa e protegendo dos altos impactos. Com tantos anos treinando dessa forma, dificilmente essas pessoas conseguem se adaptar a um tênis no futuro. Outro problema gerado é a diminuição do tempo dentro do atletismo, ou seja a sua carreira diminui drasticamente, é raro ver uma corredora descalça com mais de 10 anos de atletismo..Ou tem gente que vai fumar um e depois vai correr, e sai espalhando que correr descalco faz bem kkkkkk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget